Pernambuco.com



Pesquisa personalizada



Publicidade

E-mails falsos, golpes via SMS, posts fajutos em redes sociais continuam na rede
Redação do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR
18/10/2011 | 07h22 | Segurança

Compartilhar no Facebook  Compartilhar no Twitter Enviar por e-mail Imprimir

RIO - A internet é campo fértil para a eternização de alarmes falsos, mitos e lendas urbanas que, uma vez tomado o impulso inicial, ficam circulando indefinidamente. Elas passam de mão em mão via mensagem de spam (e-mails não solicitados), mensagens instantâneas e, mais recentemente, por meio das redes sociais e de mensagens de texto em celular (SMS).

Um dos mais famosos embustes virtuais é o caso que circula por correio eletrônico contando o caso de uma menina que sofre de câncer. A mensagem traz a foto de uma linda garota e, no fim, conclama quem receber o e-mail a repassá-lo para 20 ou 30 pessoas, pois a Microsoft (ou a AOL, dependendo da versão) estaria monitorando os repasses e doaria US$ 0,30 a um fundo destinado a ajudar a pobre criatura. Tudo mentira.

Outra categoria muito conhecida é a dos e-mails vindos de países como Nigéria, Gana, Togo, Libéria, Serra Leoa e Costa do Marfim, mencionando uma soma astronômica num banco local. O autor do golpe informa que precisa transferir a tal fortuna para um outro banco e pede à vítima que se ofereça para receber a grana em sua conta, recebendo como pagamento um percentual. Obviamente uma armadilha.

Essas e outras lendas e golpes já circulam há quase 20 anos pela internet, mas sempre se renovam graças aos novatos da rede.

— Só nos 400 provedores associados nossos, são cerca de 1.200 novos internautas se cadastrando por dia — explica Wardner Maia, presidente da Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações ( abrint.com.br), que congrega pequenos e médios provedores. — Considerando que no total são 2.500 provedores no país inteiro, podemos estimar que, a cada dia, mais de 7.000 novos usuários se cadastram.

Quase qualquer neófito, ao se deparar com essas correntes fajutas de solidariedade via e-mail e boatos falsos, imediatamente os repassa, num ato até bem-intencionado, mas que só faz congestionar ainda mais as caixas de entrada de seus destinatários.

— Sou um verdadeiro para-raio de spam. Na verdade, até tenho culpa por isso, pois escrevi um livro sobre o tema e comecei a me corresponder com os spammers por questões acadêmicas — diz Walter Capanema, advogado, professor da Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro e secretário geral da Comissão de Direito e Tecnologia da Informação da OAB-RJ. — Recebo todo tipo de spam, seja de um anúncio de um vidente argentino, seja aquele SMS avisando que eu ganhei oito casas num sorteio.

Em seu livro, “O spam e as pragas digitais: uma visão jurídico-tecnológica” ( bit.ly/liv_spam), Capanema oferece soluções jurídicas e tecnológicas para combater o mal do spam.

— Já recebi spam de sites de striptease via MSN, mas os mais divertidos, por assim dizer, são os que estão se proliferando via Facebook. Normalmente, são corretores de imóveis, que tentam te empurrar todo o tipo de propaganda, e são presas fáceis para conversas divertidas — relata Capanema.

Quatrocantos.com identifica fraudes

Outra chatice é a dos abaixo-assinados que circulam via e-mail ou em sites próprios para isso. Em geral, esses movimentos tentam cooptar o maior número de participantes na crença de que poderão reverter alguma situação ou exercer alguma influência em uma decisão. Pura ilusão. Abaixo-assinados on-line não adiantam nada, segundo especialistas. Quanto aos assuntos, esses abaixo-assinados tratam das questões mais estapafúrdias, muitas absolutamente falsas.

— Tem o caso de um tal filme chamado Corpus Christi, em que Jesus e seus Apóstolos seriam gays — diz Lucas Carvalho, publicitário residente em Brasília. — Circula pela internet um abaixo-assinado para não deixar o filme passar. Só que isso tem já uns três anos e a mensagem continua circulando. E nunca existiu esse filme.

O caso é descrito no site Quatrocantos.com ( bit.ly/dm_blasf), melhor site brasileiro especializado no ramo, e o filme, de fato, nunca existiu. Apenas uma peça teatral encenada na Broadway em 1998.

Quanto ao spam, a defesa são as várias ferramentas antispam disponíveis na rede. Quanto aos e-mails contendo apelos, alarmes e revelações bombásticas, a melhor dica que se pode dar a um internauta, seja novato ou veterano, é a de jamais repassar uma dessas mensagens, a menos que tenha absoluta certeza de que ela é verídica.

Isso implica uma apuração em primeira mão, ou então, uma rápida consulta ao Quatrocantos.com. Desde 1999 ele vem desvendando e desmascarando lendas urbanas, pulhas virtuais, boatos, peças de desinformação, teorias conspiratórias, mentiras, vírus falsos, cavalos de troia, golpes e muitas outras coisas “criaturas imortais” que até hoje vagam pela Internet e, pelo jeito, ainda nos atormentarão por um longo tempo.

Da Agência O GLOBO







Mais notícias





Conheça o Pernambuco.com
Últimas | Cidadão repórter | Divirta-se | Promoções | Gastrô | Turismo | Tecnologia | Pernambuco.cão | Mundo Ela | Cadastro | Quem somos
 Diario de Pernambuco | Aqui PE | Clube FM | Rádio Clube AM | TV Clube | Superesportes | Vrum | Lugar Certo | Admite-se
Copyright - Pernambuco.com | todos os direitos reservados. É proibida a reprodução parcial ou total do conteúdo desta página sem a prévia autorização | faleconosco@pernambuco.com