Últimas Diversão Comunidade Tecnologia Esportes Turismo Quem Somos
Diario de Pernambuco TVGuararapes Radio Caetés Rádio Clube
Edição de Terça-Feira, 9 de Novembro de 2004 
Especial | Usina JB consolida grupo
   DIARIO
   Índice Geral
   Expediente
   Ed. Anteriores
   Assinaturas
   História
   CADERNOS
   Política
   Brasil
   Mundo
   Economia
   Esportes
   Vida Urbana
   Viver
   SUPLEMENTOS
   Revista da TV
   Empregos
   Domingo
   Interior
   Viagem
   Informática
   Carro
   Imóveis
   Saúde

    SERVIÇOS

   Loterias

Especial Orgulho de Pernambuco
Usina JB consolida grupo
Expectativa da empresa é que próxima safra chegue a 1,2 milhão de sacos de açúcar
Ahistória da Usina JB Açúcar e Álcool, localizada no município de Vitória de Santo Antão, a 51 quilômetros do Recife, se confunde com a própria trajetória do empresário Jaime Beltrão. Integrante da terceira geração de uma família dedicada à atividade sucroalcooleira, ele adquiriu o engenho Cachoeirinha, que daria origem à usina, em 1964. O período era pouco propício para novos empreendimentos rurais e foi marcado por profundas mudanças no cenário político e social brasileiro. Passados quarenta anos, o que começou como uma empresa isolada transformou-se num sólido grupo composto, ainda, pelas empresas Carbo Gás, Lasa e Lastro, além da empresa Tecab e Ello.

  Administrada pelo empresário Carlos Beltrão, desde o falecimento do seu pai, em 1977, a usina deve produzir na safra 2004/2005 cerca de 1,2 milhão de sacos de açúcar e 52 milhões de metros cúbicos de álcool.

  Das 950 mil toneladas de cana que devem ser esmagadas até fevereiro do próximo ano, 64% são de matéria-prima própria, cultivadas nos engenhos mantidos pela empresa. As expectativas são de que a produção registre um crescimento de 20% em relação à safra 2003/2004.

  Especializada na fabricação de álcool, a JB inaugurou, este ano, seu novo parque industrial voltado à produção de açúcar. As instalações consumiram mais de R$ 12 milhões em investimentos e contam com equipamentos de última geração. A empresa investiu, ainda, na produção de gás carbônico, insumo largamente empregado pelas fábricas de refrigerantes, no congelamento de alimentos e no tratamento de resíduos industriais.

  Carlos Beltrão disse que, em 2001, a empresa deu início a um programa mais agressivo de diversificação, participando de uma concorrência pública para o fornecimento de energia elétrica.

Geração de energia - Para isso, foi adquirido e instalado nas dependências da destilaria um gerador de 25 megawatts. A JB responde, hoje, pelo fornecimento de 20 megawatts de energia para a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe).

O diretor da usina JB afirmou, no entanto, que o forte do grupo sempre foi a produção de álcool. Ele explicou que para dar suporte às operações de exportação, a empresa construiu, em 1995, em parceria com outras três destilarias, um terminal de Granéis Líquidos no Porto de Cabedelo. Em 1997, o terminal credenciou-se junto à ANP (Agência Nacional de Petróleo) como distribuidora de combustíveis, tornando-se a maior do segmento na Paraíba.

  O grupo possui mais de 140 postos espalhados por Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Alagoas, devendo ampliar sua atuação para mais seis estados até o final do próximo ano.
LEIA MAIS

Produção em outros estados fora do Nordeste


Clique aqui e leia os Comentários

 

 
        Escolha aqui um canal do Pernambuco.com:
quem somos | contato comercial | sua opinião sobre o portal
Copyright 2004 - Pernambuco.com | todos os direitos reservados. É proibida a reprodução parcial ou total do conteúdo desta página sem a prévia autorização | faleconosco@pernambuco.com