Últimas Diversão Comunidade Tecnologia Esportes Turismo Quem Somos
Diario de Pernambuco TVGuararapes Radio Caetés Rádio Clube
Atualizado em 10|10|2004 
Saúde | Gripe mal curada pode virar doença mais grave
   DIARIO
   Índice Geral
   Expediente
   Ed. Anteriores
   Assinaturas
   História
   CADERNOS
   Política
   Brasil
   Mundo
   Economia
   Esportes
   Vida Urbana
   Viver
   SUPLEMENTOS
   Revista da TV
   Empregos
   Domingo
   Interior
   Viagem
   Informática
   Carro
   Imóveis
   Saúde
   Diarinho

    SERVIÇOS

   Loterias

Saúde
Gripe mal curada pode virar doença mais grave
Bronquite e pneumonia são exemplos do que a virose pode se transformar
Tânia Passos
DA EQUIPE DO DIARIO
Ela parece uma doença boba mas, na prática, uma gripe mal curada pode evoluir para doenças graves. O pós-gripe é o quadro ideal, segundo os especialistas, para que as bactérias se instalem e levem a uma bronquite, pneumonia ou sinusite. "A gripe não vira uma pneumonia, mas a baixa resistência do organismo abre uma brecha para a infecção pulmonar", explica o pneumologista Blancard Torres.

  A estudante Melânia Rafaela Gomes, 22 anos, que sofre de rinite, costumava gripar com freqüência, mas relaxava com os cuidados para curar-se da gripe até que contraiu uma pneumonia. Foi em janeiro deste ano. Por causa da doença, ela chegou a perder o emprego. "A gerente alegou que eu era muito frágil e não ia poder ficar comigo", disse. Desempregada, a estudante que passou o Carnaval na cama, decidiu se cuidar. " Hoje eu me alimento melhor e tomo muita vitamina C", revelou.


Melânia ficou desempregada porque gripava com freqüência. Foto: Alexandre Gondim.
  Vítima também de uma gripe mal curada, a publicitária Patrícia Ramalho, 34, acabou desenvolvendo uma sinusite. "Eu peguei uma gripe muito forte e sentia dores intensas na região da face. Uma tomografia identificou que eu estava com uma sinusite bastante avançada", contou. A publicitária chegou a gastar R$ 100,00 em uma caixa de antibiótico, mas nunca se livrou totalmente da doença. "Sempre que eu gripo, a sinusite volta. Já aprendi a conviver com ela e quando percebo que estou gripando tomo um antialérgico", explicou.

  Segundo o otorrinolaringologista Rodrigo Sousa Leão, o processo alérgico é um fator que contribui para o aparecimento da sinusite, otite e amigdalite. "É preciso controlar também a rinite, se não a sinusite como no caso dessa paciente vai sempre voltar", explicou.

Influenza - A gripe é a doença mais contagiosa no mundo e é transmitida pelo vírus infuenza. Existem dois tipos de influenza, o A e B e muitos subtipos, já que ele sofre mutação. Uma rede formada por mais de 80 países é responsável pela monitoração do vírus em todo o mundo. O objetivo é criar medicamentos mais eficazes.


Patrícia Ramalho desenvolveu sinusite da qual nunca se curou. Foto: Júlio Jacobina.
  A vacina anti-influenza, também é um importante instrumento para proteger o organismo, principalmente das pessoas com mais de 65 anos. Ela pode ser aplicada em adultos e crianças. "A vacina é cara e o Governo brasileiro está restringindo aos idosos, mas o ideal é que todos tomem", revelou Torres. Segundo ele, a proteção da vacina traz um enorme custo-benefício, evitando o gasto com medicação.

  Outro aspecto é que a vacina ajuda no combate à transmissão do vírus. Em situações normais todas as pessoas têm de um a três episódios de gripe por ano. "Há exceções para quem está protegido pela vacina ou tem uma boa imunidade física". O médico também faz um alerta para quem estiver gripado e sentir falta de ar, expelir secreção com sangue ou sentir fortes dores no peito. Essas pessoas devem procurar com urgência o serviço médico. "A gripe é uma doença grave e muito perigosa. Ninguém deve subestimá-la", adverte.

Clique aqui e leia os Comentários

 

 
        Escolha aqui um canal do Pernambuco.com:
quem somos | contato comercial | sua opinião sobre o portal
Copyright 2004 - Pernambuco.com | todos os direitos reservados. É proibida a reprodução parcial ou total do conteúdo desta página sem a prévia autorização | faleconosco@pernambuco.com