Últimas Diversão Comunidade Tecnologia Esportes Turismo Quem Somos
Diario de Pernambuco TVGuararapes Radio Caetés Rádio Clube
Edição de Domingo, 18 de Janeiro de 2004 
Economia | Destilaria JB investe R$ 12 mi em ampliação
   DIARIO
   Índice Geral
   Expediente
   Ed. Anteriores
   Assinaturas
   História
   CADERNOS
   Política
   Brasil
   Mundo
   Economia
   Esportes
   Vida Urbana
   Viver
   SUPLEMENTOS
   Revista da TV
   Empregos
   Viver Mulher
   Viagem
   Informática
   Carro
   Imóveis
   Saúde
   Diarinho

    SERVIÇOS

   Loterias

ECONOMIA
Destilaria JB investe R$ 12 mi em ampliação
Micheline Batista
DA EQUIPE DO DIARIO
A Destilaria JB vai investir R$ 12 milhões para ampliar a capacidade geração de energia de sua usina termelétrica localizada em Vitória de Santo Antão, a 60 quilômetros do Recife. O investimento será feito na aquisição de uma caldeira com capacidade para 120 toneladas e um gerador de 10 megawatts (MW). Os novos equipamentos irão se juntar aos já existentes na usina, que dispõe de uma caldeira para 100 toneladas e um gerador de 25 MW. A previsão é a de que comecem a gerar energia em outubro.

  Segundo o diretor-presidente da Destilaria JB, Carlos Beltrão, a energia já é o terceiro produto em faturamento do Grupo JB, perdendo apenas para o álcool e o açúcar. "Estamos dispostos a continuar investindo na geração de energia", afirma Beltrão. Ele diz que as termelétricas do grupo (a segunda fica no Espírito Santo) apresentam um diferencial em relação às demais que estão sendo instaladas no País: é movida a bagaço de cana-de-açúcar.

  "A biomassa é uma energia limpa, barata e abundante em nossa Região", justifica. A ampliação da termelétrica JB também tem como objetivo atender às condições do edital do Programa de Incentivo a Fontes Alternativas, que prevê a contratação de 3,3 mil MW, sendo 1,1 mil MW de eólica, 1,1 mil MW de biomassa e 1,1 mil MW de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs), até dezembro de 2006.

  A termelétrica de Vitória de Santo Antão começou a ser construída em setembro de 2001, após ser selecionada para participar do Programa de Energia Emergencial do Governo federal. Na época foram contratadas 58 termelétricas emergenciais como uma espécie de seguro contra novos riscos de racionamento. A JB ficou pronta em julho de 2002, mas só foi acionada no dia 3 de janeiro deste ano juntamente com outras térmicas, por causa do baixo nível dos reservatórios.

  Carlos Beltrão informa que o investimento anterior, de aproximadamente R$ 19 milhões, deve ser amortizado até dezembro deste ano, quando acaba o contrato de 30 meses com a Comercializadora Brasileira de Energia Emergencial (CBEE), estatal criada para administrar o seguro antiapagão. O contrato é de 18 MW, embora a usina tenha capacidade instalada de 25 MW.

  A Destilaria JB também vende energia à Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), através de um acordo conjunto com outras 14 usinas e destilarias do Estado, coordenado pelo Sindicato das Indústrias do Açúcar e do Álcool (Sindaçúcar-PE). O contrato, de 1,5 MW, vai até dezembro de 2006.
LEIA MAIS

Termelétrica JB


 
        Escolha aqui um canal do Pernambuco.com:
quem somos | contato comercial | sua opinião sobre o portal
Copyright 2003 - Pernambuco.com | todos os direitos reservados. É proibida a reprodução parcial ou total do conteúdo desta página sem a prévia autorização | faleconosco@pernambuco.com