Edição de Quinta-Feira, 30 de Outubro de 2003
 
Início Diario de Pernambuco Economia Cocane investe R$ 350 mil em abatedouro de caprinos

Diario

Índice Geral
Expediente
Ed. Anteriores
Assinaturas
 

Cadernos

Política
Brasil
Mundo
Economia
Esportes
Vida Urbana
Viver
 

Suplementos

Revista da TV
Empregos
Viver Mulher
Viagem
Informática
Saúde
Carro
Imóveis

 

Serviços

Loterias

 

Economia

Cocane investe R$ 350 mil em abatedouro de caprinos

Frigorífico tem capacidade para processar até 100 animais por dia

Pernambuco acaba de ganhar um frigorífico especializado no abate e na comercialização de carnes nobres de caprinos e ovinos. Com investimentos de R$ 350 mil, entra em operação a partir de hoje, no município de Parnamirim, a 573 quilômetros do Recife, o novo abatedouro da Cooperativa Central Agrícola do Nordeste (Cocane). O Aprisco Abatedouro e Frigorífico tem capacidade instalada para processar até 100 animais por dia, o que representa uma produção média mensal superior a 40 toneladas de carne.

  De acordo com o presidente da Cocane, Aluísio de Freitas Almeida, com a entrada em operação da nova unidade frigorífica, o Estado terá condições de atender parte da demanda reprimida estimada em mais de 25 toneladas mensais. Além disso, já existem planos para a ampliação da capacidade instalada, o que permitirá o abastecimento de parte dos mercados da Paraíba e de Alagoas.

  O diferencial do novo abatedouro fica na produção de carnes nobres, através de cortes especiais. Segundo Aluísio Almeida, existe uma fatia demercado mais exigente e ainda praticamente ignorada pelos frigoríficos locais. "Vamos fornecer carnes com cortes finos para grandes redes de restaurantes e supermercados, atendendo uma faixa de público ávida por um produto de qualidade superior ao comumente encontrado no mercado ", afirmou.

  Entre as peças de carne que serão produzidas pelo Aprisco Abatedouro e Frigorífico estão carré, pernil fatiado, pernil desossado, picanha e filé. Toda produção passará por controle de qualidade interno, além de contar com o selo do Serviço de Inspeção da Secretaria de Agricultura, assegurando a procedência da carne.

  O presidente da Cocane disse que a entrada em operação do novo frigorífico, no Sertão do Araripe, permitirá uma melhor organização dos caprinocultores, o que possibilitará o desenvolvimento da atividade em toda região. Ele disse que foi feito um diagnóstico da atividade e que os pontos considerados deficientes serão trabalhados junto aos produtores.

  Atuando como parceira dos criadores de caprinos e ovinos, a Cocane espera contribuir para a melhoria na qualidade do rebanho desde a inseminação das matrizes até a engorda. Com isso, será possível obter carnes de valor comercial mais elevado. "Trabalhando de forma associativa, o frigorífico influenciará no aumento da produção e da renda dos pequenos pecuaristas", afirmou.

 








 

 
 
Sua Opinião


Copyright 2001 - Pernambuco.com

Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução parcial ou total do conteúdo
desta página sem a prévia autorização.
diario@dpnet.com.br