Edição de Sexta-Feira, 27 de Junho de 2003
 
Início Diario de Pernambuco Imóveis Pré-fabricado agiliza e reduz custo de casa

Diario

Índice Geral
Expediente
Ed. Anteriores
Assinaturas
 

Cadernos

Política
Brasil
Mundo
Economia
Esportes
Vida Urbana
Viver
 

Suplementos

Revista na TV
Empregos
Viver Mulher
Viagem
Informática
Saúde
Carro
Imóveis
 

Serviços

Loterias

 

Imóveis

Pré-fabricado agiliza e reduz custo de casa

Aldeia e Gravatá, no campo, Porto de Galinhas e Carneiro, na praia são locais preferidos para instalação

Roberto Cavalcanti
DA EQUIPE DO DIARIO

Confortáveis, de fácil montagem e em média 30% mais baratas do que as construções em alvenaria, as casas pré-fabricadas conquistaram os consumidores pernambucanos. Comuns no Sul País em função da influência européia, elas passaram por adaptações às condições climáticas nordestinas e se firmaram inicialmente como residências de praia ou campo. Do Interior para as grandes cidades foi apenas um passo. Preços mais em conta, financiamentos em até seis meses e tempo de montagem entre 45 e 90 dias são algumas vantagens do sistema construtivo modular.

  Em madeira de lei ou placas de concreto, as casas pré-fabricadas possuem a mesma durabilidade das construções tradicionais. Algumas empresas oferecem até cinco anos de garantia. Também há kits e serviços de ampliação para quem pretende aumentar a área construída de acordo com as necessidades da família. Os kits podem ser pagos com entrada de 30% e saldo restante dividido em cinco vezes sem juros.

  Regiões como Aldeia e Gravatá concentram o maior volume de vendas. Nolitoral os campeões são Porto de Galinhas e praia de Carneiros. Contabilizando o preço de um lote de 300 metros quadrados em Gravatá, avaliado em R$ 10 mil, uma casa em madeira com dois quartos, suíte, cozinha americana e terraço sai pelo valor total de R$ 38,807,00. Em Aldeia, uma casa nas mesmas condições em um terreno de 700 metros quadrados sobe para 73.807,00.

  Há dez anos no mercado, a empresa cearense Comafe vende entre cinco e oito casas pré-fabricadas em madeira por mês. A Comafe dispõe de mais de vinte modelos. Os preços variam de R$ 16.261,00, para uma casa de dois quartos com 73 metros quadrados, a R$ 62.393,00, no caso de quatro suítes e área coberta de 345 metros quadrados. Sem contar o custo do lote do terreno. A empresa também dispõe de plantas exclusivas. "Mantemos uma equipe de arquitetos responsável pelas adaptações ou mesmo criação de novas plantas, seguindo as orientações do cliente", explica o diretor da Comafe Luiz Otávio Pacheco.

Apesar do maior volume de vendas se concentrar noscondomínios residenciais rurais, tem crescido a participação de clientes urbanos. Segundo Luiz Otávio Pacheco, a maioria dos clientes escolhe os pré-fabricados por conta da economia, rapidez e praticidade do sistema. Outra vantagem é o repasse da responsabilidade pela administração da mão-de-obra e aquisição de materiais. Com exceção das fundações, a empresa assume todas as instalações.

  A Casa Pronta aposta no sistema construtivo misto, alvenaria com uso de placas de concreto pré-fabricadas. São mais de 20 modelos diferentes, com tamanhos entre 42 e 250 metros quadrados. Por R$ 380, o metro quadrado, custam em média 15% menos que as casas tradicionais em tijolos. Amontagem leva cerca de 60 dias. "As casas mistas evitam o desperdício de material, principalmente tijolos e argamassa", diz o diretor da Casa Pronta Beijamin Moraes.

Serviço

Casa Pronta - 9953.6439








 

 
 
Sua Opinião


Copyright 2001 - Pernambuco.com

Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução parcial ou total do conteúdo
desta página sem a prévia autorização.
diario@dpnet.com.br