(Atualizado no dia 24/05/2001)
 
Início Diario de Pernambuco Carro Aprenda a reconhecer vazamentos no motor

Cadernos

Política
Brasil
Mundo
Economia
Esportes
Vida Urbana
Viver
 

Suplementos

Revista na TV
Empregos
Viver Mulher
Viagem
Informática
Saúde
Carro
Imóveis
 

Serviços

Assinaturas e Renovações
 
Expediente
 
Edições Anteriores do Diario de Pernambuco




Carro

Aprenda a reconhecer vazamentos no motor

Se não forem detectados a tempo, existe até risco de fusão do propulsor

Iúri Moreira
Da equipe do DIARIO

Seu carro aquece com facilidade? O nível de água ou óleo baixa com freqüência? Você costuma encontrar manchas de óleo embaixo do seu possante? O motor do seu automóvel vive melado de óleo? Se a resposta para alguma dessas perguntas for sim, cuidado. Seu veículo está apresentando algum tipo de vazamento no motor e, se não consertado, o estrago pode vir a ser enorme.

  São dois os tipos de vazamento que podem ocorrer em um propulsor de automóvel: óleo ou líquido de arrefecimento. Em ambos, as conseqüências são terríveis, culminando com a fundição do bloco. Se o caso for vazamento de óleo, saiba que ele provavelmente vai aparecer nas juntas, sejam elas de cabeçote, cárter e bloco do motor, ou ainda na tampa dos tuchos.

  O caso é comum porque o óleo circula por todo interior do motor, funcionando como lubrificante. Segundo o gerente de assistência técnica da Olho D'água, Helminton José, um agravante é que as juntas não têm vida útil definida. "As juntas podem ressecar, ou ainda apresentarem trincas por superaquecimento. Vai depender das condições de uso do veículo. O único jeito de prevenir é o olhômetro. Se for constatado o vazamento, o certo é levar logo para a assistência", explica.

   troca de óleo - Uma prática errada, embora comum entre os motoristas, é retirar o bujão de escoamento do óleo do cárter na hora de trocar o lubrificante. O tal bujão em questão é aquela junta metálica que muitas vezes sai sozinha quando puxamos a varinha de nível. "Toda vez que a junta metálica for retirada, ela deverá ser trocada. Isso porque o óleo vai vazar por ela, mesmo se recolocada", adverte Helminton.

  Se o seu caso for vazamento do líquido de arrefecimento, é ainda pior, pois ele é uma das causas para o vazamento de óleo. Chamado errôneamente de água, o líquido de arrefecimento nada mais é do que uma solução de água com aditivos, para que a mesma ferva em temperaturas acima dos 100° centígrados. Se o óleo é o lubrificante, o líquido de arrefecimento é o refrigerante do motor. Quando o nível cai, a conseqüência direta é oaquecimento do bloco propulsor.

  "O líquido pode vazar pelos mangotes, bomba d'água, reservatório de expansão, radiador ou ainda pelo próprio bloco de motor, se ele estiver trincado. O problema é que, ao contrário do óleo, o líquido evapora, e fica difícil constatar o vazamento", conta Helminton. No caso, a única maneira de perceber a diminuição do nível é observar a temperatura do motor. "Se começar a aquecer demais, é sinal de pouco líquido. Se isso ficar se repetindo, mesmo depois de completado o nível, é porque existe vazamento", explica.

  Caso não seja resolvido, mesmo que o vazamento do líquido de arrefecimento não funda o motor, qualquer aquecimento maior já traz problemas. "A elevação da temperatura do bloco do motor causa, entre outras coisas, o ressecamento das juntas, já que elas estarão sendo submetidas a uma temperatura para a qual não foram projetadas. Com as juntas ressecadas, vem o vazamento de óleo e, se o motor não fundir por falta de refrigeração, ele quebra por falta de lubrificação entre suas partes", conclui.








 

 
 
Sua Opinião


Copyright 2001 - Pernambuco.com

Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução parcial ou total do conteúdo
desta página sem a prévia autorização.
diario@dpnet.com.br